Notícias Proec

Palestra promovida pelo PROMUL mostra oportunidades de intercâmbio no Alemanha

Palestra mostra oportunidades de intercâmbio no Alemanha

Divulgar oportunidades e ampliar o trabalho feito pela Unicentro em prol da internacionalização. Visando a esses objetivos, o Programa Multicultural de Línguas (Promul) promoveu a palestra “Estudar e Pesquisar na Alemanha”. “A ideia de fazer a palestra foi por dois motivos. O primeiro foi porque a gente gostaria de dar maior visibilidade para o programa de línguas da Unicentro, que tem uma função social, promovendo acesso ao ensino de idiomas para a comunidade acadêmica. Nesse sentido também, especificamente, trazer para esse público que se interessa pelo alemão um horizonte de para onde o aprendizado da língua alemã pode levar. Qual o benefício intelectual, pessoal e acadêmico do aprendizado alemão”, relatou a professora Sibele Paulino, responsável pelas aulas de alemão do Promul e idealizadora da palestra.

Palestra contou com participação de uma das coordenadoras do Daad

(Foto: Coorc)

O evento foi realizado com o apoio do Escritório de Relações Internacionais da Unicentro. De acordo com o diretor do ERI, professor Luís Paulo Mascarenhas, a atividade também integra a Feira de Internacionalização da universidade. “Essa é uma das etapas que a gente tem. São várias inserções de internacionalização durante o ano aqui na Unicentro e esse processo, então, faz parte desse conjunto de atividades de internacionalização que ocorrem durante o ano. A ideia é, justamente, propiciar uma interação maior entre Brasil e Alemanha, viabilizando um maior grau de mobilidade e o aprendizado da língua alemã e, claro, a ampliação da internacionalização dentro dos três pilares que a Unicentro trabalha hoje que são o Ensino, a Pesquisa e Extensão”, afirma.

O foco das palestras foi a divulgação das possibilidades de intercâmbio e participação em atividades acadêmicas e de pesquisa na Alemanha por meio de bolsas oferecidas pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico no Paraná, o DAAD. “Essa palestra é para apresentar esses programas de bolsas do DAAD para estudantes tanto da graduação quanto da pós-graduação, para fazer um curso de línguas ou um programa de mestrado ou doutorado na Alemanha”, conta Por isso, a professora Hanna Knapp, uma das responsáveis pelo serviço no estado. “É uma oportunidade tanto para estudantes como para pesquisadores de ir para fora. É uma oportunidade excelente para conhecer o mundo, para conhecer outras formas de vida, mas também no sentido acadêmico, para conhecer outras formas de pesquisa, de tradições na universidade. É um enriquecimento cultural, pessoal e acadêmico”, acrescenta.

Evento faz parte das ações de internacionalização

da Universidade (Foto: Coorc)

Além da professora Hanna, os participantes também puderam conferir a palestra do professor Paulo Soethe, que falou sobre como o intercâmbio pode agregar na qualidade da formação profissional. “A palestra é para motivar os estudantes, demonstrar, sobretudo, que existem muitos caminhos para a gente encontrar adesão lá fora do Brasil, no mundo acadêmico, que já é globalizado há muito tempo. Isso tem consequências também para a vida pessoal de cada um, para o percurso biográfico acadêmico que cada um pode ter contando, no caso, sobre a cooperação com a Alemanha”.

De acordo com o professor Luís Paulo Mascarenhas, diretor do Escritório de Relações Internacionais da Unicentro, o evento também é uma oportunidade para reforçar e ampliar a parceria já existente entre a nossa Universidade e instituições alemãs. “A Unicentro já enviou cerca de 40 alunos para Alemanha, em processo de mobilidade – 30 de graduação e 10 de pós-graduação. O contrário também já aconteceu. Nós recebemos ao redor de dez alunos alemães, sendo oito deles de graduação e dois de pós-graduação”.

O evento foi realizado no campus Cedeteg e contou com a participação de professores e estudantes de graduação e pós-graduação. O acadêmico do quinto ano do curso de Agronomia, Felipe Hipólito, se interessou pelas oportunidades destacadas. “Eu tenho essa vontade de fazer intercâmbio faz tempo. É muito interessante isso porque, principalmente agora no quinto ano, eu estou vendo que a gente tem que ter algo mais do que só graduação. Então, o intercâmbio é uma coisa que agrega muito para a formação”, avalia.

O professor Jackson Kawakami, também do Departamento de Agronomia, destacou a importância do fomento ao processo de internacionalização da Universidade. “Vejo como grandes as possibilidades de que, no futuro, a gente possa mandar alguns dos nossos alunos daqui para essas bolsas de doutorado-sanduíche, por exemplo, lá na Alemanha. Acho que é um passo fundamental para o desenvolvimento e o amadurecimento da nossa Universidade. A internacionalização areja a Instituição com novas ideias, com novos pensamentos. E quando nós falamos em Ciência e Tecnologia, a pluralidade de pontos de vista acaba sendo importante para a gente poder focar em um problema sobre vários aspectos, sobre vários ângulos para poder encontrar a melhor solução”.

Juventude e conhecimento são focos de projeto de extensão aprovado pelo USF

Juventude e conhecimento são focos de projeto de extensão aprovado pelo USF

O projeto “Extensão Universitária e Juventude: promovendo a troca de saberes” é um dos nove que a Unicentro teve aprovados pelo Universidade Sem Fronteiras, o U-S-F. A proposta é institucional e tem como objetivo dar continuidade a uma das principais ações extensionistas da nossa universidade: o cursinho pré-vestibular. As aulas, além de preparar os participantes para os processos seletivos, também permitem a integração entre os alunos do Ensino Médio e os estudantes de graduação e pós-graduação da Unicentro, que atuam como professores do cursinho.

Aí, segundo a coordenadora do projeto e pró-reitora de Extensão e Cultura da Universidade, professora Elaine Maria dos Santos, está outro diferencial do cursinho ofertado pela Unicentro. É que os estudantes, com o auxílio dos coordenadores pedagógicos da atividade, desenvolvem e experimentam diferentes metodologias de ensino. “Nossa proposta é de integração, de trabalhar com o conteúdo de forma interdisciplinar, de forma integrada, com metodologias diferenciadas, de modo que a gente possa tanto ter benefícios para os estudantes da rede básica, como os nossos estudantes que atuam no projeto, que pode ser licenciado ou bacharel”.

Preparação para os processos seletivos é só um dos

objetivos do projeto (Foto: Coorc)

O projeto “Extensão Universitária e Juventude” vai além da formação para os vestibulares. Ele busca fomentar os valores da cidadania e da inclusão social, possibilitando, no longo prazo, a transformação da sociedade por meio da atuação desses jovens – universitários e estudantes. É por isso que, além do cursinho, a proposta também engloba o projeto Integra Unicentro, voltado para a formação global e interdisciplinar dos estudantes do ensino médio de colégios públicos de Guarapuava e região. “Nessas ações – que muitas vezes a escola não tem como proporcionar essa formação – é que vamos diferenciar as metodologias integradas, para que o estudante possa vivenciar uma nova forma de aprender”, afirma Elaine.

Essas novas formas de aprender podem ser exemplificadas por quatro ações distintas. A primeira delas são os “grupos de estudos”, que reunirão estudantes de graduação, pós-graduação e do ensino médio para debater temáticas relacionadas às Ciências Humanas, Exatas e da Natureza. Outra metodologia é a das “oficinas itinerantes do conhecimento”, que estimularão a confecção de materiais didático-pedagógicos. Também faz parte do projeto o “Espaço Ciência e Cultura”. Nesse caso, a ideia é promover a inserção e participação dos jovens em diferentes manifestações artístico-culturais, como jogos teatrais, leituras de imagem, cantos folclóricos e percussão corporal. O objetivo é desenvolver as capacidades de expressão, imaginação e criação artística do aluno. Por fim, o projeto inclui a chamada “Produção didático-científico-cultural”. Ou seja, a partir das ações desenvolvidas e dos resultados obtidos serão elaborados materiais que permitirão que o a disseminação do conhecimento seja ampliada.

Estudantes de escolas públicas são os principais beneficiados

pelo projeto (Foto: Coorc)

Mesmo sendo ações extensionistas já em andamento na Unicentro, para a professora Elaine, o aporte financeiro do U-S-F permitirá a ampliação das ações e a realização de atividades que não eram contempladas até aqui. “É um mix das duas propostas né? só que com ações diferenciadas. Por exemplo, oficina itinerante, espaço ciência e cultura, coisas que no nosso projeto aqui da pró-reitoria, nós não temos”.

Proec promove concurso de logos para a Incubadora de Negócios de Irati

Fomentar o desenvolvimento econômico e social da região. É esse o objetivo da implementação da Incubadora de Negócios Irati, fruto de uma parceria entre a Unicentro e várias empresas e entidades da cidade e da região. Com o lançamento marcado para o próximo dia 26, a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicentro está realizando um concurso cultural para escolher a logomarca da Incubadora.

“A incubadora, por estar nascendo agora, ela ainda não tem logo. Então, resolvemos organizar um concurso de produção de logomarcas, né? Um concurso que envolve a concepção artística e a concepção cultural do que significa a logomarca de um projeto”, conta a chefe da Divisão de Promoção Cultural de Irati, professora Alexandra Lourenço.

O concurso cultural, segundo a professora Alexandra, é uma forma de envolver toda a comunidade universitária num momento tão importante não apenas para o Campus, mas sobretudo para a comunidade de Irati e região. “Você democratiza, inclusive, a concepção da aparência, da imagem que esse projeto vai ter a partir de então. É também uma busca de envolver essa comunidade a conhecer o projeto”.

Alexandra conta que uma comissão analisará as logomarcas inscritas e todos os trabalhos serão certificados . Já o vencedor levará 500 reais como prêmio. “Como são produções artísticas, originais, todas as produções que chegarem vão compor uma exposição que nós organizaremos para o lançamento e vamos certificar esses expositores, esses autores de logomarcas. Então, acredito que o envolvimento no processo vai ser sempre lucrativo e importante porque tem um resultado concreto mesmo para quem não for vencedor ou vencedora, pelo menos terá uma produção conhecida, exposta e certificada”.

Os interessados têm até o dia 16 de junho para efetuarem a inscrição. O Edital completo do concurso está disponível em nosso site.

Universidade dá início ao projeto de extensão institucional “Integra Unicentro”

A definição de que profissão seguir, nem sempre é fácil… Afinal, é para a vida toda. E quando o estudante chega ao Ensino Médio, não dá maios para adiar. E essa pressão, para a aluna do Colégio Estadual Padre Honorino João Muraro, Anna Lucia da Silva Krechinski, gera ainda mais inquietações. “Eu ainda não estou bem decidida, eu ainda tenho várias opções”.

Com o intuito de apoiar os estudantes, desde que entram no Ensino Médio, a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicentro deu início a um novo projeto. É o Integra Unicentro, que segundo a pró-reitora Elaine Maria dos Santos, vem para complementar as ações do Pré-Vestibular. Se no Cursinho os alunos do terceiro ano encontram formação específica para as provas de vestibulares e do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), do Integra poderão participar estudantes de todas as séries. “O que a gente espera disso é que a gente prepare esse aluno de uma forma complementar a da escola, para que ele também lá possa ter resultados melhores e que aqui na Universidade a gente receba um aluno melhor ainda”, explica Elaine.

Além de complementar a formação do aluno, o projeto oportuniza o acesso a um conhecimento amplo ao estudante. Assim como no Cursinho, os professores do Integra são acadêmicos dos cursos de graduação da Universidade. A Gabriela Martins Mafra, do Mestrado de Letras, é uma delas. “O que a gente considerou muito nesse projeto é o teor interdisciplinar, de não trabalhar separadas as disciplinas, mas sim mostrar como isso faz parte de uma prática social”, conta sem esconder a empolgação.

A interdisciplinaridade permitirá que uma mesma temática seja abordada a partir da particularidade de cada disciplina. Além disso, como detalha a coordenadora pedagógica do projeto, professora Ana Lucia Suriane, os estudantes poderão participar de atividades culturais e de palestras. “A gente espera que esse projeto frutifique e que, realmente, eles se aproximem, gostem e almejem a Universidade. Na verdade, a gente quer que eles pensem em prestar o vestibular e busquem esse objetivo de vida”.

Atividade é voltada para estudantes do Ensino Médio

(Foto: Coorc)

Na aula inaugural do Integra Unicentro os alunos das escolas públicas puderam compreender como funciona a Universidade e foram encorajados a pensar qual área das ciências e qual curso superior lhes interessa. O Guilherme do Nascimento já sabe o que quer e vai aproveitar a oportunidade proporcionada pela Unicentro para alcançar seu objetivo. “Eu tenho a ambição de fazer Direito, eu quero trabalhar com essa parte jurídica. E como eu quero talvez ganhar uma bolsa, eu quero ir bem no vestibular e é por isso que eu estou presente aqui”.

Para colocar o projeto em prática, a Unicentro conta com apoio do Núcleo Regional de Educação e da Cresol. Parcerias que, segundo o vice-reitor da Universidade, professor Osmar Ambrósio de Souza, permitem aos jovens ir além do sonho e conquistar uma educação superior. “Se tem a pretensão que ele descubra, até com muita antecedência, os seus anseios, as suas aspirações, que curso fazer. Além disso, despertar nesse aluno aquela aspiração, aquele sonho e que ele acredite que pode torná-lo realidade”.

Alunos de Jornalismo exibem trabalhos fotográficos em exposição na Unicentro

Curiosidade.

Movida pelo sentimento, a menina kaigang encosta em uma porta e olha fixamente para a câmera. Ato repetido por outro garoto.

Orgulho.

Sentimento presente tanto no vestir a camisa do time do coração, quanto na demonstração de manobras com o skate.

Esses são alguns dos sentimentos presentes nas cenas do nosso cotidiano capturadas pelas lentes dos alunos de Jornalismo da Unicentro. São corredores de fotos para se olhar, com os olhos e com a alma. Nos retratos estão pessoas, paisagens e prédios. E sempre levando em conta um ponto importante: a narrativa fotojornalística. “São matérias, são produtos jornalísticos, fotos documentais, imagens que buscam uma proposta mais estética”, explica o professor da disciplina de Fotojornalismo, Francismar Formentão.

As fotos foram produzidas durante o ano de 2017. Na época, os alunos estavam no primeiro ano do curso e alguns, como a Agata Neves, já mostravam inquietação pela falta de visibilidade de alguns grupos sociais. “Eu falo da participação dos negros na sociedade e do indígena. Então, eu busquei trazer as minorias para abordar essa questão dentro do fotojornalismo. São fotos que geram impacto, muitas das vezes. E eu tentei buscar isso como inspiração”, conta.

Ao produzir as fotos que fazem parte da exposição, os futuro jornalistas puderam sentir um pouco das dificuldades que da profissão. O Rafael Dias, por exemplo, enfrentou chuva e estrada de chão para que seu ensaio em uma reserva indígena fosse produzido. “Nós fomos duas vezes até lá. Na primeira, de carro, choveu e não deu para produzir as fotos, não deu nem para conversar. A chuva atrapalhou. Ai, no outro dia eu peguei a moto, a ‘bizinha’, e fui mais de 20 quilometros de estrada de chão”.

Fotos podem ser vistas até sexta-feira, dia 18 de maio

(Foto: Coorc)

Já a Mayara Maier teve que driblar problemas burocráticos para conseguir acesso ao aterro sanitário. Local onde produziu um dos ensaios da exposição. “A primeira vez que eu fui lá, me barraram na portaria e não pude entrar, apesar de eu ter o Ofício aqui da Unicentro. Aí, eu tive que levar esse ofício até a Secretaria, conseguir alguém para me levar e, assim, poder entrar. Além do mais, tinha locais que eu não podia fotografar”.

Agora, o trabalho e as dificuldades se traduzem como satisfação e realização. “Quando a gente olha tudo que a gente fez é uma sensação muito boa. Dá vontade de fazer de novo”, avalia a estudante Jaqueline Oliveira, dando a deixa para a colega Camila Maciel completar: “todo o orgulho que estava em mim se transformou em gratidão por todo mundo que participou. Eu até me emociono, porque o trabalho é mais de quem me ajudou, de quem participou, do que meu. É lindo”.

Se você ficou curioso e quer conhecer o trabalho dessa turma, a exposição “Fotojornalismo: narração, documento, arte, cotidiano” pode ser visitada até o dia 18 de maio, no centro de exposições da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, que fica no Campus Santa Cruz da Unicentro.

Pró-Reitoria de Extensão e Cultura realiza segunda edição do Trem de Minas

Muitas pessoas sentem orgulho e saudades de sua terra natal. Foram esses sentimentos que motivaram a professora de música da Unicentro, Eliana Fialho, a propor uma noite cultural dedicada ao lugar de onde veio realizada na terra que a acolheu. “É porque eu sou mineira, né? Eu moro há 30 anos aqui. Então, é meu estado natal. Eu acho muito bonita toda a história, é muito comemorado lá a inconfidência mineira”.

A ideia agradou mais gente por aqui. E, por isso, pelo segundo ano consecutivo, a Unicentro realizou o Trem de Minas. Em 2018, o palco da ação foi a Academia de Letras, Artes e Ciências de Guarapuava, a Alac. A programação contou com apresentações musicais, palestras sobre a inconfidência mineira e exposição de fotos sobre o estado de Minas Gerais. “Para o mineiro, “trem” quer dizer muita coisa. Então, “Trem de Minas” é isso tudo que vocês estão vendo aqui. Ou seja, exposição de fotos, retratando aqui toda essa cultura e arquitetura mineira e também a gastronomia típica, os quitutes de Minas Gerais, que é bem forte, e todos esses compositores mineiros, que são importantes para o Brasil”, explica a agente universitária Elizabete Ribas Lustoza.

E não tem como falar de cultura sem falar da culinária. Ainda mais quando a cozinha em questão é a mineira, uma das mais marcantes em todo o país. Por isso, o Trem de Minas contou com degustação de pratos típicos do local. No cardápio, vaca atolada, feijão tropeiro, pão de queijo e doce de leite. Delicias que, segundo o chef Guilherme Romani, agradaram tanto paladares paranaenses, quanto mineiros. “Eu estava aqui e alguns mineiros pegaram antes de comer já falaram assim ‘vou experimentar, se não tiver bom eu vou falar’. E todos gostaram. Então, eu fico feliz com isso. Eu não sou de Minas, mas a gente busca referência e busca o trabalho, quais são temperos, o que eles utilizam e a gente tenta trazer isso na comida”.

As apresentações ficaram a cargo da idealizadora do evento. A professora Eliana trouxe os alunos para interpretar canções de compositores mineiros ou que tivesse alguma ligação com o Estado. A exposição de fotos permitiu que os visitantes contemplassem as paisagens e a arquitetura de Minas Gerais. Os registros são do casal Andressa Rodrigues e Luiz Ricardo Rech. “As fotos surgiram de viagens mesmo, os lugares que a gente visitou, tudo aquilo que a gente acha interessante, desde a arquitetura, a estrada, a cultura. Tudo que reflete a cultura para nós é muito interessante”.

A arquitetura mineira também esteve presente por meio de fotos (Foto: Coorc)

Além de celebrar a cultura e a culinária de Minas Gerais, o evento também lembrou de um fato importante para história do estado e do brasil: a Inconfidência Mineira . “A própria Inconfidência Mineira é um fato histórico e um tema importante, justamente para a gente perceber os diferentes olhares que se podem lançar sobre a história, sobre os fatos históricos. Nesse sentido, então, a Inconfidência Mineira é rica nisso, porque se produziu muito literatura já a respeito”.

E quem sentiu esse gostinho de Minas Gerais aprovou, como a Maria Luiza Haag, de nove anos. “Estou achando muito legal, as musicas que eles cantaram, tudo muito afinado, tudo muito delicado”.

Oportunidade de bolsa para estudante de Agronomia, Medicina Veterinária e Profissional

Oportunidade de bolsa para estudante de Agronomia, Medicina Veterinária e Profissional (Técnico Agrícola ou Graduado(a) em Agronomia ou Engenharia Agronômica ou Medicina Veterinária ou Zootecnia)

Está aberto o edital do Processo de Seleção de bolsista para atuação no Projeto de Extensão “Núcleo Multidisciplinar de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica da Universidade Estadual do Centro-Oeste”, vinculado ao Programa Universidade Sem Fronteiras, USF.

Acesse o edital por meio do link abaixo https://www2.unicentro.br/proec/files/2018/02/Edital_033_2018_DIRPROGI_PROEC_UNICENTRO_abertura_nucleo_agroecologia.pdf

Processo de Seleção Interna de Projetos de Extensão

Está aberto o Processo de Seleção Interna de Projetos de Extensão a serem submetidos ao Edital Nº 07/2017 – Programa Universidade Sem Fronteiras da Secretaria de Ciência, Tecnolgoia e Ensino Superior, SETI/PR.

Mais informações:
* DIRPROGI: 3621-1305
* Secretaria da PROEC: 3621-1340
* E-mail: proecunicentro@gmail.com
https://www2.unicentro.br/proec/files/2018/02/Edital-01-2018-Abertura-do-Processo-de-Sele%C3%A7%C3%A3o-Interna-USF-1.pdf

Estão abertas as inscrições para o 8º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária

Em 2018, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) sediará o 8º CBEU, no período de 28 a 30 de junho, apresentando uma diversificada programação envolvendo conferências, mesas-redondas, oficinas, comunicações orais e sessões de pôsteres. Para mais informações, acesse a página http://sigeventos.ufrn.br/eventos/public/evento/CBEU2018/pagina/sobre-o-cbeu;jsessionid=A61FAE62862B55EDCE31DC4278B5378D.sigeventos01-producao

Inscrições abertas para a Edição 2018 do Curso Pré-Vestibular da Unicentro

 

Estão abertas as inscrições para a Edição 2018 do Curso Pré-Vestibular da Unicentro. Podem se inscrever alunos da Rede Pública de Ensino que estejam matriculados no terceiro ano do Ensino Médio Regular, quarto ano do Ensino Médio Técnico e também aqueles que já concluíram essa etapa.

As inscrições vão de 11 de dezembro de 2017 a 21 de fevereiro de 2018 e podem ser feitas somente pelo site: https://evento.unicentro.br/site/prevestibular/2018/14

Os inscritos deverão atentar-se às datas:

Convocação para a Entrevista Socioeconômica: 26 de fevereiro de 2018;

Entrevistas: 27 de fevereiro a 08 de março;

Resultados: 09 de março;

Matrículas: 12 de março de 2018.

Todos os editais serão publicados no site da PROEC.

Para mais informações, acesse a página do Curso Pré-Vestibular no Facebook: https://www.facebook.com/unicentroprevestibular/