Juventude e conhecimento são focos de projeto de extensão aprovado pelo USF

Juventude e conhecimento são focos de projeto de extensão aprovado pelo USF

O projeto “Extensão Universitária e Juventude: promovendo a troca de saberes” é um dos nove que a Unicentro teve aprovados pelo Universidade Sem Fronteiras, o U-S-F. A proposta é institucional e tem como objetivo dar continuidade a uma das principais ações extensionistas da nossa universidade: o cursinho pré-vestibular. As aulas, além de preparar os participantes para os processos seletivos, também permitem a integração entre os alunos do Ensino Médio e os estudantes de graduação e pós-graduação da Unicentro, que atuam como professores do cursinho.

Aí, segundo a coordenadora do projeto e pró-reitora de Extensão e Cultura da Universidade, professora Elaine Maria dos Santos, está outro diferencial do cursinho ofertado pela Unicentro. É que os estudantes, com o auxílio dos coordenadores pedagógicos da atividade, desenvolvem e experimentam diferentes metodologias de ensino. “Nossa proposta é de integração, de trabalhar com o conteúdo de forma interdisciplinar, de forma integrada, com metodologias diferenciadas, de modo que a gente possa tanto ter benefícios para os estudantes da rede básica, como os nossos estudantes que atuam no projeto, que pode ser licenciado ou bacharel”.

Preparação para os processos seletivos é só um dos

objetivos do projeto (Foto: Coorc)

O projeto “Extensão Universitária e Juventude” vai além da formação para os vestibulares. Ele busca fomentar os valores da cidadania e da inclusão social, possibilitando, no longo prazo, a transformação da sociedade por meio da atuação desses jovens – universitários e estudantes. É por isso que, além do cursinho, a proposta também engloba o projeto Integra Unicentro, voltado para a formação global e interdisciplinar dos estudantes do ensino médio de colégios públicos de Guarapuava e região. “Nessas ações – que muitas vezes a escola não tem como proporcionar essa formação – é que vamos diferenciar as metodologias integradas, para que o estudante possa vivenciar uma nova forma de aprender”, afirma Elaine.

Essas novas formas de aprender podem ser exemplificadas por quatro ações distintas. A primeira delas são os “grupos de estudos”, que reunirão estudantes de graduação, pós-graduação e do ensino médio para debater temáticas relacionadas às Ciências Humanas, Exatas e da Natureza. Outra metodologia é a das “oficinas itinerantes do conhecimento”, que estimularão a confecção de materiais didático-pedagógicos. Também faz parte do projeto o “Espaço Ciência e Cultura”. Nesse caso, a ideia é promover a inserção e participação dos jovens em diferentes manifestações artístico-culturais, como jogos teatrais, leituras de imagem, cantos folclóricos e percussão corporal. O objetivo é desenvolver as capacidades de expressão, imaginação e criação artística do aluno. Por fim, o projeto inclui a chamada “Produção didático-científico-cultural”. Ou seja, a partir das ações desenvolvidas e dos resultados obtidos serão elaborados materiais que permitirão que o a disseminação do conhecimento seja ampliada.

Estudantes de escolas públicas são os principais beneficiados

pelo projeto (Foto: Coorc)

Mesmo sendo ações extensionistas já em andamento na Unicentro, para a professora Elaine, o aporte financeiro do U-S-F permitirá a ampliação das ações e a realização de atividades que não eram contempladas até aqui. “É um mix das duas propostas né? só que com ações diferenciadas. Por exemplo, oficina itinerante, espaço ciência e cultura, coisas que no nosso projeto aqui da pró-reitoria, nós não temos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *