Arquivo do mês: maio 2018

EDITAL N° 076/2018 – DIRPROGI/PROEC/UNICENTRO – SUSPENSÃO DO CRONOGRAMA DO EDITAL N°073/2018- DIRPROGI/PROEC/UNICENTRO- PROCESSO DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA ATUAÇÃO NO PROJETO DE EXTENSÃO “ESTRATÉGIAS PARA O MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO CENTRO-SUL DO PARANÁ, BRASIL”

Edital_076_2018 PDF

EDITAL Nº 075/2018 – DIRPROGI/PROEC/UNICENTRO – Abertura do processo de seleção de estudante de graduação em Direito para atuação como bolsista no projeto de extensão “Programa de Execução das Alternativas Penais da Comarca de Irati – Patronato Irati”, vinculado ao Programa Universidade Sem Fronteiras, USF

Edital_075_2018_DIRPROGI_PROEC_UNICENTRO_abertura_patronato_irati_estudante_direito

EDITAL Nº 01/2018/PROEC/DIPROC – I – Abertura de Inscrições para o CONCURSO DA LOGOMARCA da INETII-IRATI como parte do Projeto de Extensão “Apresentação da Incubadora de Negócios – Irati”

EDITAL Nº 01_2018_PROEC_DIPROC – I – Concurso Logomarca

Universidade dá início ao projeto de extensão institucional “Integra Unicentro”

A definição de que profissão seguir, nem sempre é fácil… Afinal, é para a vida toda. E quando o estudante chega ao Ensino Médio, não dá maios para adiar. E essa pressão, para a aluna do Colégio Estadual Padre Honorino João Muraro, Anna Lucia da Silva Krechinski, gera ainda mais inquietações. “Eu ainda não estou bem decidida, eu ainda tenho várias opções”.

Com o intuito de apoiar os estudantes, desde que entram no Ensino Médio, a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicentro deu início a um novo projeto. É o Integra Unicentro, que segundo a pró-reitora Elaine Maria dos Santos, vem para complementar as ações do Pré-Vestibular. Se no Cursinho os alunos do terceiro ano encontram formação específica para as provas de vestibulares e do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), do Integra poderão participar estudantes de todas as séries. “O que a gente espera disso é que a gente prepare esse aluno de uma forma complementar a da escola, para que ele também lá possa ter resultados melhores e que aqui na Universidade a gente receba um aluno melhor ainda”, explica Elaine.

Além de complementar a formação do aluno, o projeto oportuniza o acesso a um conhecimento amplo ao estudante. Assim como no Cursinho, os professores do Integra são acadêmicos dos cursos de graduação da Universidade. A Gabriela Martins Mafra, do Mestrado de Letras, é uma delas. “O que a gente considerou muito nesse projeto é o teor interdisciplinar, de não trabalhar separadas as disciplinas, mas sim mostrar como isso faz parte de uma prática social”, conta sem esconder a empolgação.

A interdisciplinaridade permitirá que uma mesma temática seja abordada a partir da particularidade de cada disciplina. Além disso, como detalha a coordenadora pedagógica do projeto, professora Ana Lucia Suriane, os estudantes poderão participar de atividades culturais e de palestras. “A gente espera que esse projeto frutifique e que, realmente, eles se aproximem, gostem e almejem a Universidade. Na verdade, a gente quer que eles pensem em prestar o vestibular e busquem esse objetivo de vida”.

Atividade é voltada para estudantes do Ensino Médio

(Foto: Coorc)

Na aula inaugural do Integra Unicentro os alunos das escolas públicas puderam compreender como funciona a Universidade e foram encorajados a pensar qual área das ciências e qual curso superior lhes interessa. O Guilherme do Nascimento já sabe o que quer e vai aproveitar a oportunidade proporcionada pela Unicentro para alcançar seu objetivo. “Eu tenho a ambição de fazer Direito, eu quero trabalhar com essa parte jurídica. E como eu quero talvez ganhar uma bolsa, eu quero ir bem no vestibular e é por isso que eu estou presente aqui”.

Para colocar o projeto em prática, a Unicentro conta com apoio do Núcleo Regional de Educação e da Cresol. Parcerias que, segundo o vice-reitor da Universidade, professor Osmar Ambrósio de Souza, permitem aos jovens ir além do sonho e conquistar uma educação superior. “Se tem a pretensão que ele descubra, até com muita antecedência, os seus anseios, as suas aspirações, que curso fazer. Além disso, despertar nesse aluno aquela aspiração, aquele sonho e que ele acredite que pode torná-lo realidade”.

Alunos de Jornalismo exibem trabalhos fotográficos em exposição na Unicentro

Curiosidade.

Movida pelo sentimento, a menina kaigang encosta em uma porta e olha fixamente para a câmera. Ato repetido por outro garoto.

Orgulho.

Sentimento presente tanto no vestir a camisa do time do coração, quanto na demonstração de manobras com o skate.

Esses são alguns dos sentimentos presentes nas cenas do nosso cotidiano capturadas pelas lentes dos alunos de Jornalismo da Unicentro. São corredores de fotos para se olhar, com os olhos e com a alma. Nos retratos estão pessoas, paisagens e prédios. E sempre levando em conta um ponto importante: a narrativa fotojornalística. “São matérias, são produtos jornalísticos, fotos documentais, imagens que buscam uma proposta mais estética”, explica o professor da disciplina de Fotojornalismo, Francismar Formentão.

As fotos foram produzidas durante o ano de 2017. Na época, os alunos estavam no primeiro ano do curso e alguns, como a Agata Neves, já mostravam inquietação pela falta de visibilidade de alguns grupos sociais. “Eu falo da participação dos negros na sociedade e do indígena. Então, eu busquei trazer as minorias para abordar essa questão dentro do fotojornalismo. São fotos que geram impacto, muitas das vezes. E eu tentei buscar isso como inspiração”, conta.

Ao produzir as fotos que fazem parte da exposição, os futuro jornalistas puderam sentir um pouco das dificuldades que da profissão. O Rafael Dias, por exemplo, enfrentou chuva e estrada de chão para que seu ensaio em uma reserva indígena fosse produzido. “Nós fomos duas vezes até lá. Na primeira, de carro, choveu e não deu para produzir as fotos, não deu nem para conversar. A chuva atrapalhou. Ai, no outro dia eu peguei a moto, a ‘bizinha’, e fui mais de 20 quilometros de estrada de chão”.

Fotos podem ser vistas até sexta-feira, dia 18 de maio

(Foto: Coorc)

Já a Mayara Maier teve que driblar problemas burocráticos para conseguir acesso ao aterro sanitário. Local onde produziu um dos ensaios da exposição. “A primeira vez que eu fui lá, me barraram na portaria e não pude entrar, apesar de eu ter o Ofício aqui da Unicentro. Aí, eu tive que levar esse ofício até a Secretaria, conseguir alguém para me levar e, assim, poder entrar. Além do mais, tinha locais que eu não podia fotografar”.

Agora, o trabalho e as dificuldades se traduzem como satisfação e realização. “Quando a gente olha tudo que a gente fez é uma sensação muito boa. Dá vontade de fazer de novo”, avalia a estudante Jaqueline Oliveira, dando a deixa para a colega Camila Maciel completar: “todo o orgulho que estava em mim se transformou em gratidão por todo mundo que participou. Eu até me emociono, porque o trabalho é mais de quem me ajudou, de quem participou, do que meu. É lindo”.

Se você ficou curioso e quer conhecer o trabalho dessa turma, a exposição “Fotojornalismo: narração, documento, arte, cotidiano” pode ser visitada até o dia 18 de maio, no centro de exposições da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, que fica no Campus Santa Cruz da Unicentro.

Pró-Reitoria de Extensão e Cultura realiza segunda edição do Trem de Minas

Muitas pessoas sentem orgulho e saudades de sua terra natal. Foram esses sentimentos que motivaram a professora de música da Unicentro, Eliana Fialho, a propor uma noite cultural dedicada ao lugar de onde veio realizada na terra que a acolheu. “É porque eu sou mineira, né? Eu moro há 30 anos aqui. Então, é meu estado natal. Eu acho muito bonita toda a história, é muito comemorado lá a inconfidência mineira”.

A ideia agradou mais gente por aqui. E, por isso, pelo segundo ano consecutivo, a Unicentro realizou o Trem de Minas. Em 2018, o palco da ação foi a Academia de Letras, Artes e Ciências de Guarapuava, a Alac. A programação contou com apresentações musicais, palestras sobre a inconfidência mineira e exposição de fotos sobre o estado de Minas Gerais. “Para o mineiro, “trem” quer dizer muita coisa. Então, “Trem de Minas” é isso tudo que vocês estão vendo aqui. Ou seja, exposição de fotos, retratando aqui toda essa cultura e arquitetura mineira e também a gastronomia típica, os quitutes de Minas Gerais, que é bem forte, e todos esses compositores mineiros, que são importantes para o Brasil”, explica a agente universitária Elizabete Ribas Lustoza.

E não tem como falar de cultura sem falar da culinária. Ainda mais quando a cozinha em questão é a mineira, uma das mais marcantes em todo o país. Por isso, o Trem de Minas contou com degustação de pratos típicos do local. No cardápio, vaca atolada, feijão tropeiro, pão de queijo e doce de leite. Delicias que, segundo o chef Guilherme Romani, agradaram tanto paladares paranaenses, quanto mineiros. “Eu estava aqui e alguns mineiros pegaram antes de comer já falaram assim ‘vou experimentar, se não tiver bom eu vou falar’. E todos gostaram. Então, eu fico feliz com isso. Eu não sou de Minas, mas a gente busca referência e busca o trabalho, quais são temperos, o que eles utilizam e a gente tenta trazer isso na comida”.

As apresentações ficaram a cargo da idealizadora do evento. A professora Eliana trouxe os alunos para interpretar canções de compositores mineiros ou que tivesse alguma ligação com o Estado. A exposição de fotos permitiu que os visitantes contemplassem as paisagens e a arquitetura de Minas Gerais. Os registros são do casal Andressa Rodrigues e Luiz Ricardo Rech. “As fotos surgiram de viagens mesmo, os lugares que a gente visitou, tudo aquilo que a gente acha interessante, desde a arquitetura, a estrada, a cultura. Tudo que reflete a cultura para nós é muito interessante”.

A arquitetura mineira também esteve presente por meio de fotos (Foto: Coorc)

Além de celebrar a cultura e a culinária de Minas Gerais, o evento também lembrou de um fato importante para história do estado e do brasil: a Inconfidência Mineira . “A própria Inconfidência Mineira é um fato histórico e um tema importante, justamente para a gente perceber os diferentes olhares que se podem lançar sobre a história, sobre os fatos históricos. Nesse sentido, então, a Inconfidência Mineira é rica nisso, porque se produziu muito literatura já a respeito”.

E quem sentiu esse gostinho de Minas Gerais aprovou, como a Maria Luiza Haag, de nove anos. “Estou achando muito legal, as musicas que eles cantaram, tudo muito afinado, tudo muito delicado”.

EDITAL Nº 005-DIREX/PIBEX – Prorrogação do Processo Seletivo para Bolsas Universitárias/2018 do Edital Nº 003/2018 – DIREX/PIBEX

Edital 005 – DIREX_PIBEX – Prorrogação das Inscrições

EDITAL Nº 004-DIREX/PIBIS – Prorrogação do Processo Seletivo para Bolsas Universitárias/2018 do Edital Nº002/2018 – DIREX/PIBIS

Edital 004 – DIREX_PIBIS – Prorrogação das Inscrições

EDITAL Nº 074/2018 – DIRPROGI/PROEC/UNICENTRO – Convocação de bolsista para atuação no projeto de extensão “Programa de Execução das Alternativas Penais da Comarca de Irati – Patronato Irati”, vinculado ao Programa Universidade Sem Fronteiras, USF

Edital_074_2018_DIRPROGI_PROEC_UNICENTRO_convocacao_patronato_irati

EDITAL Nº 073/2018 – DIRPROGI/PROEC/UNICENTRO – Abertura do processo de seleção de bolsistas para atuação no projeto de extensão “Estratégias para o Manejo Florestal Sustentável em Pequenas Propriedades Rurais no Centro-Sul do Paraná, Brasil”

Edital_073_2018_DIRPROGI_PROEC_UNICENTRO_abertura_ManejoFlorestal